22.4.11

disclaimer (aka, não, o Passos Coelho não usa saias travadas)

Vários leitores (*cof cof* um leitor) alertou-me para o facto de eu não estar a zelar pelos direitos dos operários ao condenar a tolerância de ponto.
Digam-me em que parte d' O Manifesto Comunista ou de Das Kapital está mencionado em que a tarde antes de um fim-de semana prolongado têm o direito de não trabalharem para irem entupir a estrada rumo ao Allgarve, onde espero que esteja a chover tanto como aqui.  Não bastavam quatro dias, senhores? Ainda por cima com o FMI~à porta, que nunca deve ter visto coisa destas?
Eu cá acho que nos deviamos ter mas era convertidos todos ao protestantismo quando ainda eram horas de o fazer. Assim teríamos uma ética de trabalho protestante, e não católica, porque acho que isso nem existe.
Não, não sou um Passos Coelho ruivo e bastante mais sexy. Apenas digo as verdades, sejam à direita à esquerda, e continuo a considerar que sou do lado bem sinistro da coisa.
Fig. 1 - Pedro Passos Rabbit

3 comments:

  1. Finalmente alguém que concorda comigo. E depois espantam-se de ouvir certos partidos na Finlândia dizer que este é um país de preguiçosos.

    ReplyDelete
  2. Concordo plenamente. É como o Nilton disse, e muito bem: "Não é irónico o pessoal do FMI estar a trabalhar e os funcionários públicos terem recebido tolerância de ponto?"

    ReplyDelete