31.12.13

10 resoluções para 2014:

1. PARAR DE ROER AS UNHAS. Se precisares de nailspiration, olha para a Lana del Rey.
2. Escrever merdas de jeito.
3. Ir para a cama sem telemóvel! Não vale de nada ir para a cama às 23 se ficas até à uma no reddit, ainda por cima esforças os olhos.
4. Parar de esconder o corpo. Não é por teres engordado que tens de te vestir como uma professora primária da época vitoriana, não é quando tiveres 70 que vais andar de mini saia. Não, não vais voltar a pesar 50kg como em 2010. E ainda bem, porque não quero voltar a desmaiar com um cigarro ou usar um alfinete para segurar a saia do traje.
5. Numa veia similar, todos os dias de manhã põe brincos e colares e cenas. A vida é demasiado curta para não parecer uma árvore de Natal.
6. Lá por não ter açúcar, não quer dizer que a Coca Cola Zero não faça mal. Re: barriga inchada, azia, dentes.
7. Arranjar coragem para ir ao dentista.
8. Andar com diário/agenda para todo o lado.
9. Descobrir música nova.

10. SER POSITIVA E ACREDITAR E CENAS ASSIM

30.12.13

PROBLEMA:

-Ah, já sei o que escrever n'A Saia Travada! Estou aqui a estruturar o post na minha cabeça e tudo!
*30 segundos depois, pega no computador*
-O que é eu ia a escrever, mesmo?

24.12.13

warning: grinch inside


Expliquem-me lá como é que funciona o gostar do Natal. Ouvem o Coro Infantil de Santo Amaro de Oeiras e não vos apetece estrangular ninguém? Dizem-vos Bom Natal em Novembro e não ficam perplexos?
As pessoas ficam sempre muito admiradas quando ouvem que não gosto do Natal. Sou o tipo de pessoa que organiza as reuniões de turma por esta altura, decora a casa toda (serei eu a única com luzes de Natal no quarto de banho?), fica ansiosa por encontrar a prenda certíssima para cada pessoa, participa no Pai Natal Solidário dos CTT, tem meias que tocam Jingle Bells e brincos em forma de floco de neve e precisa de comprar buttermilk para fazer Aquele Bolo.
No fundo, o que gosto mesmo é de parolice desmedida e não há outra altura do ano para a minha Martha Stewart interior sobressair. A música dá-me urticária, assim como a obrigação de subitamente toda a gente se dar bem à volta da mesa. Os reclames fofinhos de família à volta da lareira só me deixam com ansiedade e aperto no coração. Sinto mesmo muitas saudades dos meus avós e irmãos e sobrinhos que ainda não vi (Skype não conta).
 Por aqui, vai se comer bacalhau e tiramisu, ver a TVE (não liguem, tradição) e jogar Scrabble (tradição também.) Bom Natal, e se não celebram, Bom 24/25 de Dezembro!

(Porque é que não estou a ver nenhum filme tradicional de Natal na tv? Nem Sozinho em Casa, nem Harry Potter...)

21.12.13

Gostava que Mariano Rajoy e compinchas do PP me explicassem como é que estão a defender toda a vida se ainda se pode interromper uma gravidez fruto de uma violação - parece-me que estão é a tentar castigar com uma criança uma mulher por abrir as pernas. Acabam por castigar com infecções e úteros perfurados.

19.12.13


Lembram-se de andar na primária e escrever em papéis A5 "Gostas de mim? Sim Não Talvez"? 

4.12.13

Eu saia travada me confesso, estou viciada em comentários da página do facebook do Público.
Gosto porque não são anónimos, estão ligados a um nome e a uma cara e dá para clicar neles e saber tudo. Por exemplo, quando pessoas comentam num artigo sobre os sem-abrigo que "Vão mas é trabalhar, os meus impostos bla bla bla whiskas saquetas, clicas, são de Cascais, trabalham at "Jovem Empreendedor", vês mais um bocadito da timeline e fazem um RIP à Margaret Thatcher, essa grande mulher miguinha do Pinochet e apologista do apartheid e um "força Miguel Relvas"!
A sério, pessoal, sejam mais criativos. Tanto cliché que isto parece uma série da FOX Life.




15.11.13

Hoje conheci uma pessoa que não bebe café.
Não confio em pessoas que não têm vícios.

11.11.13

londres

Então, isto sou eu em Londres:

A sério. 2.70€ por um café que sabe a mijo de gato torrado?

Ainda bem que o resto da comida é boa. E agora, um roteiro instagrâmico da gastronomia londrina (porque se quando era pequena rezava antes de comer, agora tiro fotos)



Wetherspoon's All Day Brunch. 1178 kcal. 68g de gordura. 8g de sódio. Compreendo perfeitamente como é que o meu avô teve um ataque cardíaco aos 40.




Digam olá Aquele Que Não Gosta de Saias Travadas. Ele estava a rir-se porque o empregado assumiu que a cidra (que dá 10 a 0 à Somersby, e ao mais não é de pressão) era para ele e o fancy sumo de arando para mim. Neste restaurante eu comi korma de frango e ele qualquer coisa tipo borrego com ervas dos Himalaias. Sinceramente fiquei decepcionada, o frango não estava muito mais picante que o frango que a minha mãe põe nas fajitas.

Tuga que é tuga vai ao Starbuck's e tira fotos ao nome (normalmente mal escrito) e finge que é melhor que qualquer meia de leite do Primar. Nem o leite e o chocolate disfarçam o quão verdadeiramente horrível é o espresso. Tive que mascar chiclete para sair o sabor da boca. Ah, e menti no nome porque a) tem piada b) não quero que o NSA ande atrás de mim. 

Frango em cama de pão pita, com molho de tomate e alho e iogurte. Quem me dera ser turca.

Sabiam que depois de andar um dia em Londres, o ranho sai preto? Pois é.

E depois para terminar em beleza, vim num voo da EasyJet com duas gémeas de 4 anos aos pontapés ao meu assento. É retribuição kármica daquela vez em mordi a mão da senhora à minha frente (para ser franca, foi a minha mãe que disse para fazer).

23.10.13

Esta história da menina "Maria", encontrada num acampamento de ciganos na Grécia está-me a chatear imenso. A beatificação da menina-anjo-loira, que, os media assumem, pelo meio das referencias à beleza caucasiana da criança, que foi raptada à la Maddie McCann dos pais branquinhos.
Porque é que assumimos que foi raptada? Não está em nenhuma base de dados europeia. (e não, não é a menina do Kansas, os ciganos são nómadas mas nem tanto.)Quem sabe, (e acho provavel) se a mãe dela a terá vendido ou dado e não estará melhor com a familia que a estava a criar, ainda que a adopção não tenha sido legal? Se calhar ainda acreditam no "come a sopa ou eu chamo os ciganos para te levarem".
O problema disto também é que abre precedentes para outras coisas:  já duas crianças, uma na Itália e outra na Irlanda, foram retiradas dos pais ciganos por serem mais loiros, no caso da Itália com a afirmação da policia de "é bonita de mais para ser cigana". O ADN e recessividade dos genes diz que não.
A menina estava a ser criada por uma familia que num ano registou 6 crianças. Essas crianças estão agora numa instituição? Porque é que ainda não vi nenhuma fotografia delas? Fizeram testes de ADN também? Esqueci-me. São ciganas.

(Para quem vive debaixo de uma pedra ou não anda a ouvir as velhinhas no autocarro a falarem disto, noticia do Publico)

20.10.13

E eu que me queixava dos filmes de Domingo à tarde da SIC/TVI eram maus, eis que tenho que aturar 4 horas de música pimba. Está bem no Verão, que há festas e é a silly season, mas agora festas populares à chuva? Coitadas das dançarinas.

17.10.13

reality check.

Comboio urbano Porto-Braga, mais ou menos Rio Tinto, comigo nos lugares da frente a ouvir música e a ler, comodamente na minha bolha. Eis que a bolha se rebenta quando vejo que uma mulher de meia idade está a berrar com uns homens ao meu lado com mau aspecto, a dizer "EU VI O QUE VOCÊS FIZERAM! EU VI! AINDA POR CIMA COM CRIANÇAS AO LADO!", a gesticular vagamente para mim e as outras raparigas com camisolas de faculdades ao meu lado. Pensei que talvez tivessem feito uma demonstração de afecto. Um deles, sentado, barafustava a dizer que não se tinha passado nada, o outro, mais magro, dizia para lhe ter calma. "EU VI! VOCÊS PASSARAM QUALQUER COISA! OU VOCÊS SAEM OU EU CHAMO O REVISOR!!!"
Percebi  que afinal, o gesto ofensivo foi a passagem de droga. Dizem que têm bilhete. Agora começa-se a juntar mais gente, mais forte e mais jovem que a senhora, e começam a bater-lhes. O comboio pára em Águas Santas-Palmilheira, as portas abrem,  um continua a queixar-se que tem bilhete até Ermesinde, mas o outro quando lhe põem fora foge. Bem tentam ao outro mas ele agarra-se às barras do comboio, "Estou de ressaca, é para o consumo, é só para consumo" e o que lhe vale é que  chega um homem que retira o homem que lhe estava a dar socos na barriga e chega o revisor e três homens, que o atiram contra a parede e lhe mostram a identificação. A senhora continua a gritar, "EU VI! ELES TINHAM MEIO QUILO DE DROGA! VOCÊS DESTROEM A NOSSA VIDA! DESTRUIDORES!", ele tenta falar por cima do ombro do polícia, "QUEM É QUE TEM A VIDA DESTRUÍDA AQUI?" A senhora é levada lá para trás por um jovem que a tenta acalmar, uma rapariga ao meu lado chora, eu pasmo, a polícia pede ao consumidor os dados pessoais.
Tem por volta de 50 anos, tem pais chamados Maria e José, é Aquário, já foi casado. Diz que "anda nisto" há 30 anos.

8.10.13

ja tinham saudades, não tinham? tinham.

Menor norte-americana obrigada a ser mãe por "falta de maturidade" para abortar - PÚBLICO

Não tem para abortar mas tem para ser mãe. E não me venham dizer que provavelmente é posto para adopção, a própria rapariga foi retirada dos pais adoptivos pelo consumo de drogas e maus tratos, inclusive partiram-lhe a clavicula.

26.9.13

Sempre que alguém diz ou escreve "marxismo cultural", morre um cachorrinho bebé.

Merda, outra vez. Desculpa, Bóbi.

18.9.13

26.8.13

obrigada, senhor do barclayscard

por me pores de mau humor e a questionar a minha vida 

-Antes de mais, devo dizer que sou estudante.
-Diga-me só, que idade tem, senhora dona Saia Travada?
-[a minha idade]
-E só estuda? Não trabalha ao mesmo tempo?
-Não.
-Posso lhe falar só das vantagens do barclayscard?
-Pessoalmente, acredito que cartões de crédito são o Demo.
-Resta-me desejar uma boa tarde para si, Senhora Dona Saia Travada.

18.8.13

Morte de estudante grego desperta debate na Grécia 

 Um estudante de 19 anos que morreu depois de uma discussão com um inspector dos transportes públicos está a tornar-se um símbolo na Grécia. Thanassis Kanaoutis morreu com uma lesão fatal na cabeça depois de se ter atirado, ou de ter caído, ou de ter sido empurrado, para fora do autocarro, quando este circulava num bairro de classe média de Atenas, na terça-feira passada. Certo é que na altura, o estudante discutia com o inspector dos bilhetes, por não ter pago os 1,20 euros que custava a passagem. A empresa diz que o próprio Kanaoutis accionou o travão de emergência para sair, a família diz que ele poderá ter sido empurrado. O caso tocou um ponto sensível na Grécia, onde o Governo está a recorrer a métodos cada vez mais duros para recolher receitas e sob pressão internacional para pôr em ordem as suas finanças. Cerca de 300 pessoas assistiram ao funeral e, depois da cerimónia, dezenas de jovens atiraram pedras contra polícia anti-motim perto do local onde Kanaoutis morreu. Um autocarro foi atacado, as janelas estilhaçadas e alguém escreveu “assassinos” no pára-brisas. “Este é o último miúdo que morre – a partir de agora vai ser o sangue deles a correr”, gritou um jovem depois do funeral. A morte de um jovem de 15 anos pela polícia em 2008 despertou motins violentos que duraram semanas na Grécia.
 [...]
 O meu medo nem é que a violência fatal por parte de autoridades esteja a chegar à Europa. Vai chegar a este cantinho. Não, o meu medo é que ao contrário de na Grécia e no Brasil (o caso do pedreiro Amarildo, que "deu sumiço" depois de ser levado para uma esquadra) aqui não vai cair o Carmo e a Trindade, não vamos todos para a rua, vamos ficar quétinhos porque somos um "país de brandos costumes". Povo latino, o catano. Deve haver nórdicos com mais garra que nós.

12.8.13

nasci velha.

Some people turn sad awfully young. No special reason, it seems, but they seem almost to be born that way. They bruise easier, tire faster, cry quicker, remember longer. 

- Ray Bradbury in Dandelion Wine

11.8.13

Mãe: O que é que chamamos à gata [completamente estrábica]?
Eu: Chris.
Mãe: (ri-se desalmadamente)
Mãe: Now I feel bad for laughing.

6.8.13

então eu comecei a ler isto


que, segundo a própria autora, é "The sickest book of the summer". Leiam mais sobre ela e o livro (já banido por alguns Defensores da Moral e Bons Costumes™ ) aqui e aqui.

Aquele Que Não Gosta De Saias Travadas:
sorry, mas não podes ser pedófila, chamares-te Celeste e manter a credibilidade

tipo, duh.

É óbvio de que se vou toda pintada e bem-vestida para ir ao cinema com ele, não há nenhum interesse no moço, gente.

Nunca andei toda maquilhada à beira de pretendentes; queria sempre que eles vissem toda a minha beleza natural e sem artíficios, que sou uma mulher simples e descomplicada (eu sei, eu sei, é induzir em erro) e claro, nada de batôm vermelho, que poderiam ficar todos estonteados com a minha beleza rústica e querer dar-me um beijo espontâneo à chuva.

1.8.13

a saia travada e o trabalho precário

Querido diário:

Hoje fui à "formação" para aquele emprego em part-time. Estive das 10 às 15h a andar atrás de uma moça que está lá há um mês, e em todo este tempo fizemos duas actualizacões de serviço (como diz o chefão, "não são vendas"). Quando depois andei com o outro "formador", que coitado, atrapalha-se e eu tive de me meter no meio e salvar a situação, ele deixou-me tratar dessa conta (o chefão depois disse que a comissão não era minha porque ainda estava em formação. ) O chefão e os restantes escravos colegas dizem que se faz em média 50€ por dia, uma vez que cada conta são 5 e fazem por norma 10. O problema, querido diário, é que estes contratos são quase todos feitos depois das 6, que é quando as pessoas estão em casa. Então, porque é que estamos desde as 10 na rua? Porque é que não almoçamos à uma como toda a gente? Porque é que comemos uma "sandocha" (se trouxermos de casa, obrigada chefão por me avisar) às 4 da tarde?
Parece que a rapariga que estava lá há um mês só pára de bater às portas quando as pessoas começam a perguntar que raio de horas são aquelas (lá para as 22h). Ora isto são, vamos a ver, 12h. Metade de uma rotação completa da terra sobre si mesma, vulgo dia. O outro rapaz disse-me muito entusiasmado, que, fazendo 1000€ ao final do mês (5€ x 10 x 20), já dava para o seu apartamentozinho próprio. Esqueci-me foi de lhe perguntar quando é que vai estar a disfrutar da sua casa, dado que está das 9 às 21h a calcorrear as ruelas do Grande Porto.
Quando cheguei a casa, fui ao Pingo Doce e praticamente inalei a minha mista, queijada e café. Até o papel quase que ia. A outra rapariga disse-me com toda a naturalidade que não tomou o pequeno almoço e que normalmente só almoçava às 16h. Não sei como não desmaiou.
Não sei se volto, diário. Não tenho filhos nem casa para pagar; só queria um pé de meia (um dedo, vá), compreendo que quem tenha aceite este tipo de trabalho em desespero. Note-se que nenhum dos meus escravos colegas estava nesta situação. Não sei se volto, porque ao aceitar, estou a aceitar um trabalho injusto; se eu não aceitar, outros aceitam este trabalho de bom grado, e isto continua a ser aceitável e talvez, não sei, legal.
Bem, está visto, tenho de parar de viver acima das minhas possibilidades. Tenho que vender pipocas e empreender e o caraças.

(Dica d'A Saia Travada: quando precisarem de retail therapy depois de um árduo dia de trabalho, ide aos chineses em vez do shopping, a carteira agradece)


21.7.13

a realidade morde

Winona Ryder em Reality Bites (1994)

i like driving in my car, it's not quite a jaguar

Madness - "Driving in my car" (1982)

 Hoje peguei no carro pela primeira vez em meses. Conduzir é como andar de bicicleta.

 No sentido em que não sei andar muito bem de bicicleta, e não sei conduzir muito bem também.

19.7.13

toda a gente tem de pagar as contas, não é?

"Olá, eu sou a Margarida Rebelo Pinto e convidoo a estar presente na Feira do Livro do Continente e descobrir o meu novo livro, "Título Lamechas Que Não Decorei", com 30% de desconto."


O que eu não me ri.

17.7.13

sabem uma coisa que já não se vê?

Festas de formatura.

Há uns anos atrás ia a festas de formatura de tantos amigos dos meus pais. Lembro-me de ir a uma de um primo afastado quando era pequena, pegar naquele pauzinho que lança faíscas do bolo e a minha tia Hermínia me dizer "um dia também vais ter um bolo assim".

Pois, tia. Entretanto, os anos 90 acabaram, e agora quando se acaba o curso tem-se mas é uns pêsames pelo desemprego ou os estágio não-renumerado (vai dar ao mesmo) quase certo. Um bolo em forma de recibo verde.

16.7.13

Uma vez uma irmã no colégio disse-me que Deus tirava aos velhinhos o juízo para não estarem sempre a pensarem na morte e no sofrimento da velhice. O díficil é para quem fica.
É muito doloroso deixar de ter temas de conversa com a pessoa de quem mais gostavamos de aprender coisas. As conversas tornam-se um ciclo infinito de "Não tens frio?/Quando é que te casas?/Até que enfim que engordaste um bocadinho". Voltam à idade da rebeldia e não és tu que o vais mandar não conduzir ou fazer o que quiser. Não sabem das meias, vão procurar na cozinha. Doi-lhes a anca, mas conseguem baixar-se debaixo da mesa para desligar todos os telefones de casa. A morte aos poucos é muito dolorosa.

15.7.13

a saia travada entrou de férias. iupi.

Em 81 disse à Dr.ª Manuela Brazette, psiquiatra, "Eu sou feia". Ela disse-me "Não é ser feia. Não há pessoas feias. Não tem é atractivos sexuais". Lembrei-me então do homem que em 74, tinha eu 14 anos, se cruzou comigo no Arco do Cego. Lembrei-me do homem, da cara do homem vagamente, mas lembrei-me muito bem do que ele me tinha dito ao passar por mim. Tinha-me dito "Lambia-te esse peitinho todo". Lembrei-me também da meia-dúzia de outros homens que durante a minha adolescência me tinha dito quando eu passava "Coisinha boa" e "Borrachinho". Ainda hoje me sinto profundamente agradecida a esses homens. Pensei que estavam a avacalhar, que eram uns porcalhões. Mas quem estava a avacalhar era a Dr.ª Manuela Brazette, ela é que é uma porcalhona. Acho que um homem nunca consegue ser mau para uma mulher como outra mulher .
-Adília Lopes, in Irmã barata, irmã batata. Braga/Coimbra: Angelus Novus, 2000. p. 12

Gosto de elogios. Gostei do senhor que disse que gostava do meu chapéu e que hoje ninguém anda de chapéu e que lhe fazia lembrar a mãe dele. Gostei da senhora no comboio que me disse que eu parecia a Audrey Hepburn (mas que grande wtf.)
Não gosto de piropos. Não gostei de quando tinha 12 anos, estava à espera que a minha mãe me viesse buscar e um camionista a passar na estrada ficou a olhar e a buzinar. Não gostei quando um tarado me seguiu pelos Clérigos acima a querer o meu numero de telefone. Não gostei quando mais uma vez estava à espera da minha mãe (carro azul, porque te atrasas sempre?) e gunas fizeram voltas à rotunda para me verem, mostrei-lhes o dedo do meio e chamaram-me puta. Isso não foram elogios. Senti-me invadida, exposta, de carcaça aberta na montra do talho.



18.6.13

era uma vez...

... um país. Este país tinha um bocado de complexo de inferioridade por ter feito uns descobrimentos em 1500 e troca o passo e desde então nunca fazer muito. Era pequeno de território; era pequeno de pessoas; e sobretudo, era pequeno de mentalidades. Por ser pequeno gostava muito de bater recordes: maior feijoada; maior pão de ló; maior ditadura de direita de sempre ditadura de direita mais longa do séc XX.
Uns países maiores (mas se calhar não tão maiores em mentalidade) deram-lhe dinheiro. E o país pagou aos pescadores para não pescarem, aos agricultores para não cultivarem. Pagou a maior rede de auto-estradas da Europa. Os hospitais ainda eram velhos, havia escolas primárias em que todas as turmas estavam na mesma sala e não havia cantina, a taxa de natalidade caía a pique porque as pessoas não tinham como sustentar crianças.
Mas este país era bom a uma coisa. Futebol! Gostava muito disto. Muitas vezes, o futebol abria o telejornal. E então tiveram uma ideia. Fazer um Campeonato Europeu cá. Para isso, fizeram sete novos estádios e renovaram três. O Campeonato foi um sucesso, supostamente, mas toda a gente se queixava que o governo gastou demasiado nos estádios. Enquanto os clubes faliam ou desciam de divisão e os estádios ficavam às moscas.
Não fizeram nada. Só falaram nos cafés. Enquanto o país afundava.
Muitos anos depois, um dos países que saiu dos descobrimentos de 1500 e troca o passo caiu na mesma esparrela dos estádios, enquanto escolas, hospitais e tudo o que faz uma sociedade o que ela é continuavam na miséria. O país, não sendo "dos brandos costumes", revoltou-se. Fez finca-pé. E o outro apoia o país irmão, está solidário com os protesto
Mas não fez nada acerca do que se passava lá.

11.6.13

“Estudar até ao 9.º ano e depois começar a tourear. Mais do que o 9.º ano não” - João Moura Jr.

Sabem donde vem o nome "bulldog"? Então é assim, no séc XV, começaram na Inglaterra a criar cães para fazerem "bull-baiting", que basicamente era largar cães a um touro com o propósito de o imobilisar. Isto foi proibido com o Cruelty to Animals Act de 1835.
Então aqui em Portugal e em 2013, esta aberração deve ser proibida, certo?
Errado.


Esta imagem veio do facebook do "cavaleiro" João Moura, Jr, tirada deste blog uma vez que já não se consegue aceder directamente às imagens (coragem para enfrentar touros, não para enfrentar os defensores destes)

E já agora, uma entrevistazinha ao senhor (podem ver a reportagem completa aqui):
Jornalista: Gostas de animais?
JMJr: Gosto de cavalos, touros.
Jornalista: Achas que gostas de toiros?
JMJr: Gosto, gosto de toiros.
Jornalista: Mas estás disposto a andar a espetá-los?
JMJr: Sim.
Jornalista: E a eventualmente a matá-los?
JMJr: Pois, a matá-los também.
Jornalista: E achas que isso é maneira de gostar?
JMJr: Não sei, mas é a profissão. Tem de ser assim.
Não, Joãzinho, não tem de ser assim.


(Antes que me venham com merdas de "ah tu comes bife e o carago", a vaca que de vez em quando como foi electrocutada de maneira menos cruel possível  e serviu para me alimentar. Não andou com ferros lantejoulados espetados na carne para entretenimento dos demais.)

10.6.13

não me sinto muito patriótica hoje

Uma ideia bonita era o Aníbal condecorar simbolicamente um(a) operário/(a), trolha, agricultor(a), empregado(a) doméstico(a), pai/mãe de família, pessoas que fazem Portugal, não só patrões e Fernandos "Corremos com eles à pedrada!" Ruas.

2.6.13

socorro, estou apaixonada

por um velhote russo que morreu há 40 anos. Obrigada por me dares uma sensação tão boa como a de estar num jantar e querer ir para casa só para ler.


(Ele escrevia em papelinhos, deitado. My kind of guy.)
(Quem jogava Pokémon que faça uma piada.)


28.5.13

petite histoire du jour

Quando chegamos cá a Portugal, a minha mãe queria-me fazer um cachorro-quente (hot dogs, em minha casa sempre foram hot dogs), foi ao Dia (naquela altura era o Dia) e comprou Bollycaos em vez dos pãezinhos próprios para o efeito.
Salsicha e chocolate não cai muito bem.

27.5.13


An individual’s life consisted of certain classified things: “real things” which were unfrequent and priceless, simply “things” which formed the routine stuff of life; and “ghost things,” also called “fogs,” such as fever, toothache, dreadful disappointments, and death. Three or more things occurring at the same time formed a “tower,” or, if they came in immediate succession, they made a “bridge.” “Real towers” and “real bridges” were the joys of life, and when the towers came in a series, one experienced supreme rapture; it almost never happened, though. In some circumstances, in a certain light, a neutral “thing” might look or even actually become “real” or else, conversely, it might coagulate into a fetid “fog.” When the joy and the joyless happened to be intermixed, simultaneously or along the ramp of duration, one was confronted with “ruined towers” and “broken bridges".
- excerto de Ada, or Ardor de Vladimir Nabokov

o marquitos e a lolita II: o regresso do velho

(Para quem não percebeu o título, está aqui o post, um dos que acho mais bem escritos d'a saia travada)

Finalmente, um sábado de calor em que ia tomar beber um café com as amigas e tagarelar. Estava no comboio, parada em Ermesinde, a ouvir música aos berros e de óculos gigantescos em forma de coração (...sim, como na adaptação ao cinema do Lolita), quando se senta o senhor de cabelos brancos e óculos de massa ao meu lado, o que era estranho, ele há um anito que não me chateava. Ainda o consegui ignorar durante uns minutos, mas ele põe-me a revista do Expresso (com uma belíssima reportagem sobre a co-adopção, ide ler) à frente da minha cara.
-Para se entreter até S.Bento... às vezes ler uma frase ou um parágrafo alegra-nos. Mas já se nota que está mais feliz.
Pensava que só as pessoas mais próximas nos podiam ver na cara a felicidade - ou pelo menos a ausência de tristeza. Olhei para o que ele estava a ler. Uma crítica na Actual do Expresso sobre o Fala, Memória, do Nabokov. Deus não joga aos dados.
-Já resolveu a causa da tristeza?
-Não sei, parece-me que a causa está na minha cabecinha. - Atirei o barro à parede. Às vezes é mais confortável  falar com desconhecidos.
-Sabe que há vários tipos de depressão. E depois há neuroses que nos fazem reverter a fases passadas...
-Leu Freud?
-Li, muito.
-Eu sou mais de Jung.
-Um conselho, não leias Freud nem Jung até saíres totalmente do buraco. Santos da casa não fazem milagres, tu não és a tua própria terapeuta.
Faz-me lembrar uma rábula do Sem Penas, de Woody Allen, em que desmantelam uma rede de prostituição intelectual. Os senhores pagavam à hora para falarem de livros ou política com meninas universitárias. Pagavam mais se fosse literatura comparativa. Era isto que este senhor precisava. (E eu também não dizia que não a uns trocos.)
Chegamos.
-Prazer em vê-lo, Marquitos. Bom fim de semana.
E lá fui, comer uma tarte de (Sumol de?) limão nos Aliados e ler revistas porno dos anos 70 em alfarrabistas.

26.5.13

i just blued myself

Sugestão: ide ver Arrested Development.


Está bem?

autefite do dia (de ontem)





 Blusa às pintas vermelhas: H&M de há alguns anos
Saia: faço puto de ideia, é de uma loja em 2ª mão (Rosa Chock)
Sapatos: Galerias Araújo, com palmilhas ortopédicas por dentro
Mala: David das Malas
Óculos: Bijou Brigitte

(lalala, estou a procrastinar escrever um post.)

25.5.13

they call me mellow yellow

Lemon Drop da Rimmel, és tão bonito mas tens a consistência de corrector. És o equivalente cosmético àqueles gajos jeitosos  que mal abrem a boca sai merda.

23.5.13

Morram, vernizes da H&M, viva a Kiko. A verdadeira prova está naqueles vernizes de cor pastel.

vim com photoshop de nascença

- A menina está óptima. Toda arranjada, a pele bonita, com base...
-Hoje só pus rímel.
-Mas tem a pele tão lisinha, uniforme.

(De facto, quando cheguei a casa reparei que os poros do nariz... Desapareceram. Não uso nada na pele como calaceira que sou. Isto ou tem a ver com o meu recente gosto pelo ginásio ou pela sílica que ando a tomar todos os dias a ver se as unhas ficam fortes)

20.5.13

moaning myrtle

Isto de usar maquilhagem põe em risco a grande tradição feminina de chorar em cubículos de casa de banho sem que ninguém se aperceba.

19.5.13

esta é a D.Edite.


É a mulher mais forte que conheço e foi o meu primeiro (e maior) ícone feminista. Criou uma filha sozinha nos anos 50. Foi multada muitas vezes por andar descalça. Ensinou-me a falar português, posteriormente ensinou-me a fazer leite-creme. Hoje faz 85 anos.
Consta também que mudou a roupa de cama ao John Lennon e Yoko Ono durante o bed-in em Montreal. Costuma comentar que o ex-primeiro ministro Canadiano Pierre Trudeau tinha as pantufas todas esfarrapadas.

Ah, e também calha de ser minha avó.
Sim, ao que consta o blog tem um visual novo e aquilo ali em cima é, de facto, a minha letra.

que acham?

Leitores d'a saia travada já que estou em época de mudanças (de visual do blog, em breve!), que acham se pelo meio dos rants politicos e do ódio a transportes públicos fizer uns posts a mostrar o autefite do dia ou as unhacas? Digam de vossa justiça nos comentários.

18.5.13

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

A minha posição em relação à greve dos professores é neutral. Se há professores a mais e crianças a menos, quem incentivou e aprovou o aborto livre e gratuito (pago pelo Estado) que os aguente. Que morram do veneno que eles próprios venderam ao país.

-espectivas.wordpress.com

... havia de haver uma forma de eu visitar blogs deste calibre mas não contribuir para as estatísticas de visitas. Meu estúpido, não sabes que sem o aborto "livre e gratuito" faziam-se milhares ali na clinica da Ti Alice? Ou as que têm dinheiro (porque as pobres fodem-se sempre) iam a Badajoz com anestesia, sem agulhas nem chás manhosos.


Sobre a greve dos professores: pá, podiam fazer isso noutro dia, não?

17.5.13

consumismo desenfreado

Este post não vai ser o habitual. Vai ser quase Pépa-esco, mas num escalão monetário bastante mais baixo.
Ora numa bela sexta feira em que os peixinhos do estágio não precisavam da minha ajuda, fui ao xópe na busca de sabrinas bege da H&M e talvez de um alisador de cabelo (que ironicamente vai servir para me fazer ondinhas!) ... e acabou assim.



Top leopardo para ser séxi, não sei com que usar, recuso-me a usar daqueles micro-pico-calções que vi em todas as lojas. Coisas da Sleek, que pensava que só havia no UK e afinal há na Sephora (não se assustem se me virem de lábios laranja!). Prenda de anos da Sephora. Amostras da Sephora e da The Body Shop. Ceninha para fazer chá com folhas em vez de saquinho. Champô da TBS sem sulfatos nem silicones nem nada que sou esquisita. A chápinha, como dizem as brasileiras. O verniz amarelo-pálido DOS MEUS SONHOS, outros tambem bonitos, e perfume knock-off do Armani Code do Jumbo.
As sabrinas? Não havia o meu número.


Ah, e encontrei rolos em casa do meu avô :)

Agora se o raio da Royal Mail se despachasse com a minha encomenda...

16.5.13

azul e branco

Olá. Algum monarca (filiado ou não do PPM) que lê este blogue quer-me explicar o seu ponto de vista e razão pela sua opção política?

15.5.13

um no burro e outro no cigano

Fico sempre secretamente contente quando encontro outro estrábico. Dá-me sempre vontade de lhe dar mais cinco, yo mano zarolho, como é que é?

14.5.13

ainda sobre o raio das mamas


Sim, porque são MAMAS, não vale a pena irem para o site do Público dizer que é calão e que são seios. Que eu saiba, vocês não seiaram leite em bebés.
Tenho um novo tag. É o "acéfalos na internet".

"Muitos sao totalmente idiotas e ipocritas ,eu para nao ter o cancro da mama vou mandar retirar as mamas , para nao ter o cancro dos ovarios vou mandar retirar , para nao ter o cancro dos entestinos vou mandar retirar , para nao ter o cancro do cerebro vou mandar retirar etc , etc , mas a morte nos espera todos nao vale a pena se esconder . O Mickael Jacson queria viver 140 anos até dormia numa caixa de oxigenio , hahahahaha , miseraveis de mentalidade e ricos de dinheiro." 

Ó filha, cancro do cérebro nunca vais tu ter.

Ah, e para quem está com cenas de "RIP mamas da Jolie", a senhora é mais que um cabide para mamas para o regalo dos vossos olhos.

double mastectomy

Vamos ter calma. A Angelina Jolie tirou as mamas por razões de saúde, não para dar de comer aos meninos em África.

então e essa queima das fitas?

Mean Girls, 2004

13.5.13

lembrete pessoal

Não ir ao ginásio sem antes tirar o rímel. Poderás sair do balneário com ar de quem pratica kickboxing passivo.

12.5.13

do amor

A minha mãe dizia-me que as pessoas eram como tachos, cada um tinha uma tampa, não importava grande ou pequenino.
Vendo-a perder a cabeça a vasculhar na gaveta maior da cozinha pela tampa de um Tupperware, penso que o ser humano é mais como um destes. A tampa existe, agora onde está não sabemos, é melhor pegar noutra caixa.



(Tampinha Que Não Gosta De Saias Travadas, hoje uma vizinha trouxe-nos o álbum de casamento do filho dela para vermos, quem me dera estares aqui para nos rirmos das típicas fotos da noiva em cima da cama, desta vez pelo menos deram-se ao trabalho de tirar os peluches e os medicamentos da mesinha de cabeceira.)

10.5.13

como saber que és uma adulta aborrecida

Estás estranhamente empolgada por ir dormir para testar a nova almofada visco-elástica a ver se não te dá dores de pescoço de manhã.

3.5.13

depressão pré-aniversário

Porque é que se sou uma feminista acérrima, se acho que as mulheres podem ter a aparência que têm e/ou querem e não têm que dar satisfações a ninguém, se penso que as revistas femininas podem todas meter as dietas no cu, não o aplico a mim mesma? Porque é que quero ser perfeita por fora? Porque é que me comparo tanto?

2.5.13

alegrai-vos, pois há um post novo!


Ao googlar uma pílula, fui parar a fóruns de "mamãs" (e "treinantes". seja lá o que isso for).Portanto, há gente que não tenta tomar a pílula que o/a médico/a receitou porque tem "maus reviews", como se se tivessem na dúvida de que filme ir ver ao cinema. A pergunta mais usual é se engorda, que como todos sabemos, é a pior coisa que pode acontecer (para citar uma pessoa, quando eu própria comecei a tomar, "mas podes morrer... ou pior, engordar!"). E depois clica naquela utilizadora que tem descrito todo o seu processo de engravidar na assinatura, clica naquele título estapufúrdio, e estou para aqui a rir-me(mas não devia, porque esta gente está de facto a criar a geração futura e isso é assustador) enquanto como Chips Ahoy como pipocas, Ora portanto, as pérolas do fórum:

"resolvi deixar aqui a informação que o meu médico me deu esta semana e que me deixou deveras inquieta. Comentei q tinha comprado o genérico da Harmonet pq esta estava esgotada na farmácia onde tinha ido. Ele olhou para mim muito sério e disse: "Se quiser engravidar é continuar a tomar o genérico da Harmonet mais uns tempos..." Segundo ele, a Harmonet e o genérico não são rigorosamente iguais e o grau de protecção do genérico não chega aos 80% ao contrário da Harmonet que diz ser extremamente fiável. Fica a informação. "
Acho que o laboratório da Harmonet deve estar a oferecer viagens ao Brasil... ou pelo menos bloquinhos de post-its.
"eu vou começar agora a tomar a pilula minigeste.. mas estou um bocado confusa.. esta pilula serve mesmo para prevenção? é q pelo q me andei a informar esta é uma pilula muito fraquinha.. dai a minha confusão..e gostaria de saber se esta pilula tambem aumenta o peito..obrigado, fico á espera de uma resposta.. beijo* "
Não, é só para fazeres de conta que és crescida, como aqueles soutiens rasos para meninas de 10 anos. Estás a ver aquele papel dentro da caixa? É para ler.
"estou a ser pecimista. talves seje mesmu so um atrazo."
Ainda bem. Seria lixado ajudares o puto com os TPC.

" antes de os padres já existia a religião católica, mas foram os padres que mataram jesus!! os padres da religiao católica mataram jesus por este ser judeu! há e mataram também maria madalena mulher de jesus! só não mataram a filha deles porque ninguém soube que ela deu á luz uma menina! por isso jesus cristo e maria madalena eram um casal e tiveram uma filha que ninguém soube! mataram eles por ela ser prostituta, mas que se apaixonou por jesus! fiquem atentas á história verdadeira! vejam o quadro em que eles estão todos á mesa!"
2005 telefonou, querem de volta a febre Dan Brown. Não, nem isso. E como todos sabemos, "o quadro em que estão todos à mesa" é uma representação fiel da realidade, eles até se puseram todos de um lado da mesa para a fotografia.
 "ah e tal sou muçulmana mas que eu saiba estes so teem sexo ás quintas e para já ir em 10 filhos com pouco mais de 30 anos nao me parece que cumpra assim tanto a religiao!"
Obrigada. Puseste-me a googlar "sex thursdays islam". E mesmo que só fizessem às quintas...ou uma vez por ano, basta uma vez, por isso nos 30 e poucos podem muito bem estar nos 10 filhos.

Esta não sabia:
Sempre tive olheiras desde que me conheço mas agora a minha mãe tá sempre a implicar comigo porque pra ela olheiras e olhos encovados são sinais de ter sexo. é que é sempre a mesma conversa, volta e meia levanto-me e ao pequeno-almoço lá está ela com a piada das olheiras e passo-me! é claro que não gosto de ver assim e normalmente uso maquilhagem, mas se por acaso há um dia em que não uso e vou a algum sitio com a cara lavada lá vem o paleio que parece mal, e que as pessoas da rua notam que já tenho relações sexuais com o meu namorado e bla bla bla.... e não adianta dizer que não tem nada a ver uma coisa com a outra que isso não lhe entra.
Se a tua mãe me visse sem um quilo de maquilhagem em cima duvidava da minha profissão.

20.4.13

esposas do cavaquistão

Se isto das "esposas de Viseu" já era rídiculo, hoje ouvi no telejornal que isto é escrito por quatro mulheres que fazem turnos para vigiar lá o distrito vermelho 24 sobre 24 horas. Parafraseando a frase mais portuguesa de todos os tempos, "Se fossem mas é trabalhar..." (e deixar as outras trabalhar)

-Ó mãe, são duas da manhã e tenho frio. Vamos para casa...
-Olhó Alfredo da Mila. Sim senhor. Ela sempre toda com o rei na barriga. Vai ver. Aponta aí filho... 25-RJ-...
-Mãe, aquele não é o carro do pai?
-Cala-te.

15.4.13

um belo dia


1. Esqueci-me de por o despertador para o primeiro dia de estágio, acordada 45min atrasada pelo pai aos berros, graças a Deus pela pontualidade portuguesa que só fez a reunião começar às 9h30;
2. Começa-me a doer a perna e a mancar, ao tirar as calças descubro pisaduras que não sei donde raio vieram, mas já é segunda vez que isto me acontece e começo a pensar que tenho uma doença toda Dr. House em que o meu musculo está a ser comido por bactérias carnívoras;
3. Parafuso do microscópio demasiado sensível;
4. Chego a casa, a pensar em afogar mágoas em carbohidratos... eis que me roubam o pacote das Chips
Ahoy.



25.3.13

fazer de babysitter está-me a fazer perder pontos de QI

N'"O Bairro do Panda": "As pessoas que fazem exercício físico vivem mais tempo." A menos que sejam atropeladas a fazer jogging.





19.3.13

daddy issues

Uma vez como prenda de Dia da Mãe fiz um cartão com o "Poema à Mãe" de Eugénio de Andrade escrito na minha letra redondinha e ameninada. Acho que ela chorou. (Ela chora sempre que lhe faço uma prenda. É um facto.) O problema é que poemas ao pai há poucos, ou melhor, há muitos, mas são coisas Plathescas em que comparam o pai a um fascista ou há ali um complexo de Electra latente. Pronto, mais vale dar uma gravata.

17.3.13

Desabafo

Estou farta de ler sobre os jovens a quem a vida está a correr bem lá fora, com trabalhos e bolsas porreiros. Não há reportagens sobre quem arranja profissões de sonho cá? Parece que não.

24.2.13

Não sei de que é que são estão para aí a queixar, a carne de cavalo é muito mais cara que a de vaca ou porco, é mais qualidade pelo o preço que pagaram.


Por exemplo, na cantina da minha faculdade, se servissem cavalo seria um grande melhoria em relação ao... que quer que seja que esteja a passar por carne lá.

21.2.13

wild at heart, kept in a cage

O passarinho conseguiu abrir a porta da gaiola com o bico, voou durante uns dias no céu azul que decidiu não chover para não incomodar, saltou de galho em galho, encontrou um em que queria fazer ninho até que o dono pegou e meteu-o de novo na gaiola com um pouco de alpista.
Agora canta, mas rouco.


(Um abraço forte ao outro passarinho que vai voar hoje e só volta em Junho)

18.1.13

.


Porque é que as plataformas "pró-família" não veêm isto?
As crianças são acarinhadas. Têm uma família, têm irmãos, não são abusadas. Mas nunca vão voltar para casa dos pais. Vão ser adoptadas (duvido muito, não sendo 1. bebés 2. brancos.) Vamos então tirar-lhes as crianças por serem demasiadas, ao mesmo tempo que "aqui-d'El-Rei que não há canalha suficiente em Portugal e está tudo velho".
Liliana tinha que"arranjar emprego, zelar pela higiene e vestuário das crianças, assegurar a pontualidade e a assiduidade deles na escola, ter em dia os planos de vacinação e fazer uma laqueação das trompas" Que tribunal pode decidir laqueações de trompas? "[tinham] de deixar em África os nossos hábitos e tradições e que aqui tínhamos de nos adaptar" É, aqui em Portugal a tradição é a do filho único. Ai, desculpa, isso é a China. Gostava de mandar o juíz fazer uma vasectomia. Ou lhe dar um bom pontapé nos tomates à moda antiga.
E já é a segunda vez hoje que fiz o erro de ler os comentários. Como é óbvio, comentários racistas, chamar gorda à senhora e "esses comunas" abundam. Sou tão masoquista.


(Eu sei que tinham saudades dos meus posts rabujentos aqui n'a saia travada.)

televisão de qualidade

Ah, Virgin Diaries no TLC. Gajo de 34 anos que colecciona o seu cotão do umbigo há 15 anos num frasco.

Não sei porque é que nenhuma rapariga quer dormir com ele.

11.1.13

este não é um post sobre a pépa nem o cão

Estão a racionar antivirais e medicamentos para o cancro.

Eu sempre tive a ideia estúpida que um dia iamos todos acabar na fila do pão, agora não parece tão estúpido assim.



9.1.13

crise existencial bloguística

Lendo o regulamento para este concurso de blogs do ano 2012, descubro que não faço puta ideia de onde a saia travada se encaixa.
Um olhar ao nome podia dizer que é um blog de moda, mas eu no máximo sou fashionista Primark/Claire's e mesmo assim só nos saldos.
 É escrito por uma mulher, de facto, mas não sei o que distingue um blog da categoria mulher dum blog homem, se bem que gosto muito de mencionar a menstruação.
Ainda falei da actualidade política, mas agora isso é bater no (coelhinho) ceguinho.
Às vezes falo de livros, de música, mais raramente cinema, mas não sou crítica.
Não é um diário íntimo, isso é em papel e é só para os meus olhos (e do meu pai. olá pai, eu sei que lias o meu diário). Não é de bordo, que eu enjoo com os barcos.
Fotografia? Tentei e nem durei um mês.
Pais/filhos. Oh pá, estão-me a imaginar um dia a ter um daqueles blogs em que as mamãs falam da consistência do cocó na fralda da Caetana Matilde e do Afonso Maria? Não.

Pronto, este blog entrou na fase do armário da adolescência e vai-se fechar no quarto a ouvir Radiohead.

3.1.13

prémio "não tem o cu a ver com as calças"

" E, já agora, que haja a honestidade de reconhecer que, nos países onde mais vão aparecendo esses atos de violência assassina cometidos por tresloucados jovens, aí não há tradições culturais taurinas – e em muitos casos até são proibidos esses espetáculos. Coincidência ou talvez não…"
         - Maurício do Vale, in Correio da Manhã, crónica "Tauromaquia"